1/6

Grandes Linhas.

Três escalas espaciais de abordagem estão contempladas no inctAmbTropic fase II:


Zona Costeira (Local) – é uma área de grande heterogeneidade física e biológica e a interface de interação entre as forçantes naturais e antropogênicas. Grupos de Trabalho 1.1 (Deltas e Linha de Costa) e 1.2 (Recifes de Corais);

Plataforma Continental (Regional) – é uma área também de grande heterogeneidade, pouco compreendida e cada vez mais intensamente utilizada pelo Homem. Grupos de Trabalho 2.1 (Geodiversidade e Biodiversidade dos Substratos Plataformais) e 2.2 (Variabilidade Espaço-Temporal da Diversidade e Estrutura Trófica do Ambiente Pelágico na Plataforma Continental);

Oceano (Global) – é um componente integral do sistema Terra influenciado por transporte de massa e por suas interações com a atmosfera. Grupo de Trabalho 3.0 (Ciclos Biogeoquímicos e Fluxo de CO2 do Oceano Atlântico Tropical).

No ano de 2020, atendendo a uma demanda do CNPq foi criado o Grupo de Trabalho 4.0 – Derrames de Óleo, para investigar os impactos ambientais e sócio econômicos do evento de derrame de óleo que afetou a costa leste-nordeste do Brasil no ano de 2019.

 

Os grupos de trabalho atuam em áreas geográficas distribuídas ao longo da costa norte-nordeste do Brasil, com foco maior nos ambientes marinhos relacionados às desembocaduras dos rios Parnaíba e São Francisco, além de dar continuidade às coletas de dados, iniciadas na primeira fase do inctAmbTropic. Esses dois rios e os ambientes marinhos associados apresentam condições distintas de impacto pelas atividades humanas; intensamente impactado (São Francisco) e quase prístino (Parnaíba). Suas bacias hidrográficas estão dentre as mais ameaçadas pelas mudanças climáticas em curso, com previsão de redução significativa na precipitação nas próximas décadas, e portanto agravamento nos problemas enfrentados atualmente (redução de vazão, aporte de sedimentos e nutrientes para a zona costeira, erosão, alterações na biodiversidade etc..).