1/3

GT 3.0 VARIABILIDADE CLIMÁTICA, CICLOS BIOGEOQUÍMICOS E FLUXO DE CO2 NO OCEANO ATLÂNTICO TROPICAL.

Levantamentos recentes indicam que os oceanos são responsáveis pela absorção de cerca de 30% a 40% do excesso de CO2 emitido por fontes antrópicas desde o início da revolução industrial (Canadell et al., 2007; UNEP, 2009). Caso sejam mantidas as atuais taxas de emissão, estima-se que as concentrações de CO2 na atmosfera aumentarão, de 385 ppm em 2008, para 450-650 ppm até 2060, o que alteraria a acidez média da superfície dos oceanos, de 8,1 para 7,9-7,8 unidades de pH (UNEP, 2009). Como resultado desse processo, está em curso uma acelerada modificação da composição química do oceano global, fundamentalmente, pela acidificação da região que compreende os cerca de 2000 m superiores da coluna d'água.

 

Os principais efeitos dessas mudanças estão associados à redução da quantidade de habitats onde os organismos que integram o carbonato de cálcio (CaCO3) em suas conchas e esqueletos podem prosperar, prejudicando assim toda uma vasta gama de organismos marinhos e de cadeias alimentares que deles dependem. Torna-se imperativo, portanto, o estabelecimento de ferramentas de previsão do balanço de CO2 oceânico submetido a diferentes cenários futuros. Embora seja de conhecimento científico que o Atlântico tropical é uma fonte de CO2 para a atmosfera, muito pouco se sabe sobre a variabilidade espacial e sazonal-interanual do fluxo de CO2 na interface ar-mar nesta região oceânica, e muito menos de sua evolução de longo tempo diante do aumento do CO2 atmosférico. Mas se o Atlântico tropical funciona globalmente como uma fonte de CO2 para a atmosfera, regiões específicas e importantes foram caracterizadas como sumidouros de CO2, como por exemplo, as áreas oceânicas localizadas nas proximidades das descargas de grandes rios, como o Amazonas. 

Objetivo Principal: incrementar e consolidar a capacidade brasileira de medir todos os parâmetros do sistema de carbono, de modo a contribuir para a o monitoramento e compreensão do ciclo de carbono no Atlântico tropical.

 

Coordenador: Moacyr Araujo (UFPE) 

Abordagem Metodológica: fundeios e instalação de sensores para medicão de pCO2/O2 , campanhas oceanográficas, modelagem matemática.

Coordenador.

Moacyr Araújo

Engenheiro Civil pela Universidade Federal de Pernambuco (1985), com Mestrado em Hidráulica e Saneamento pela Universidade de São Paulo (1991), Especialização (D.E.A. - 1992) e Doutorado (DSc. - 1996) em Physique et Chimie de l´Environnement pelo Institut National Polytechnique de Toulouse, França. Tem experiência nas áreas de Mecânica dos Fluidos e Oceanografia, atuando principalmente nos seguintes temas: Turbulência em sistemas geofísicos; Interação oceano-atmosfera; Modelagem matemática e simulação numérica da hidrodinâmica e dos ciclos biogeoquímicos de sistemas hídricos superficiais. Atualmente é Professor Associado do Departamento de Oceanografia (DOCEAN), pesquisador do Centro de Estudos e Ensaios em Risco e Modelagem Ambiental (CEERMA), e vice-reitor da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) (2019-2023). Chefe do DOCEAN/UFPE (2004-2008), Sub-chefe do DOCEAN/UFPE (2012-2016), e Coordenador do CEERMA/UFPE (2014-2019). Atuou em comitês científicos no CNPq e FACEPE. Co-coordenador do Grupo de Trabalho 1 Base Científica das Mudanças Climáticas do Painel Brasileiro de Mudanças Climáticas, e membro de seu Comitê Científico. Coordenador da Rede Brasileira de Pesquisas sobre Mudanças Climáticas Globais - Rede CLIMA, e membro de seu Comitê Científico. Membro do Comitê de Ciências do Mar (CCM/SEPED/MCTI). Co-chair do Projeto Prediction and Research Moored Array in the Tropical Atlantic e membro do Scientific Steering Committee (SSC-PIRATA). Membro do Conseil d'Orientation Stratégique et Scientifique de la Flotte Océanographique Française (COSS-Flotte) (2012-2017). Membro do CLIVAR-Atlantic Region Panel (ARP) of the World Climate Research Programme?s Climate Variability and Predictability (WCRP/CLIVAR) Project (2014-2018). Membro do International Scientific and Technical Advisory Board (ISTAB) do EU Horizon 2020 project AtlantOS: Optimizing and Enhancing the Integrated Atlantic Ocean Observing System (2015-2019). Membro do Conselho Técnico Científico (CTC) do Centro Nacional de Monitoramento e Alerta de Desastres Naturais (CEMADEN). Membro da Academia Pernambucana de Ciências (APC). Membro do Author Team for the Atlantic Ocean Observing System Blueprint (2018-2019). Membro do Author Team for the Tropical Atlantic Observing System - TAOS Review (2018-2019). Co-lider do WP1/CT1 - Large-scale circulation, eddy dynamics, upwelling and mixing of the H2020 TRIATLAS Project (2019-2023). Expert Reviewer do Working Group I (WGI) do IPCC Sixth Assessment Report (AR6) (2020).

e-mail: moa@ufpe.br

moaraujo@yahoo.com

  • Lattes
  • orcid
  • Researcher Gate
  • Google Scholar